Audiência pública em Frei Miguelinho contou com apoio da Amatra VI

Com pouco mais de 15 mil habitantes, o município de Frei Miguelinho – no Agreste de Pernambuco, próximo ao Polo de Confecções da região – enfrenta dificuldades como o crescente número de jovens que abandonam a escola para entrar precocemente no mercado de trabalho. A situação levou a Gerência Regional de Educação (GRE) Vale do Capibaribe a solicitar audiência pública para tratar do assunto.

A sessão foi realizada na quadra da Escola de Referência em Ensino Médio São José, com apoio da Amatra VI e a presença de juízes do trabalho e representantes do Legislativo e do Executivo municipal. Além, claro, de professores e estudantes que buscaram informações sobre o que prevê a lei sobre trabalho infantil.

Os presidentes das Amatras VI, Adelmy Acioli e XIV (Rondônia e Acre), Antônio César Coelho, participaram da audiência falando sobre a importância da educação e do conhecimento para pavimentar o futuro dos jovens estudantes. A juíza Danielle Lira, da 6ª Região, reforçou o caráter motivacional, estimulando os jovens a persistem em seus sonhos.

Parceria – Em processo de finalização para uma parceria que irá levar o TJC para Arcoverde (Sertão do Estado), os professores Isabele D’Angelo e Pablo Falcão, da Universidade de Pernambuco (UPE), também participaram da audiência pública. Ainda representantes da Secretaria de Educação do Estado (parceira no programa), como a coordenadora do TJC na Regional Vale do Capibaribe, Josemar Barbosa e a gestora da Regional Vale do Capibaribe, Edjane dos Santos.