Editorial veiculado no Isto Posto, edição de 13 de setembro de 2018, assinado pelo presidente da Amatra VI, Adelmy Acioli.

“A atual diretoria chega ao final de sua jornada com a consciência de haver cumprido com o seu dever e respondido de forma satisfatória aos compromissos assumidos no início da gestão. É verdade que atravessamos uma quadra política e econômica de grandes dificuldades, mas se não veio até o momento a reposição remuneratória devida, grandes esforços foram realizados no sentido de conter a nefasta reforma da previdência, o fim do auxílio moradia e a aprovação do PLS 280/2016 que, a pretexto de estabelecer uma nova lei de crimes de abuso de autoridade, busca intimidar a Magistratura e estabelecer tipos penais abertos que atingem os magistrados no exercício da jurisdição.

Articulamos de forma inédita a FRENTAS/PE que foi responsável pela aproximação em nível local das entidades representativas da Magistratura e do Ministério Público em Pernambuco, o que culminou em atos conjuntos e grandes mobilizações no Estado.

Estivemos atentos à defesa das prerrogativas dos associados para velar pelo respeito à independência técnica e ao direito à liberdade de opinião dos magistrados, como também alcançamos vitórias importantes para garantir, por exemplo, a interrupção de férias no caso de licença médica do próprio magistrado e para o acompanhamento de pessoa da família.

Manejamos ainda medidas para a efetivação da Resolução CNJ N. 219/2016 no âmbito da 6ª Região e para a designação de assistentes para os juízes substitutos, tendo o TRT6 se comprometido solenemente perante o CNJ a promover as lotações até 31/12/2018.

Ajustamos a forma de comunicação com os associados instituindo a lista de transmissão e formatando uma nova roupagem do Isto Posto com aproximação dos acontecimentos às notícias divulgadas.

Quanto ao TJC, levamos para o interior do Estado a experiência alvissareira realizada há mais de uma década no Recife e região metropolitana, com o intuito de aproximar o Judiciário da sociedade e fortalecer a imagem da magistratura no seio da opinião pública.

Nesses dois anos, poucas AMATRAS fizeram tantas ações na área de eventos. Organizamos em parceria com outras instituições a prévia carnavalesca do Bloco Tribunal na Folia, sediamos o Encontro Nacional de Aposentados, trouxemos a culminância nacional do TJC e, após 28 anos, conquistamos o direito de sediar o CONAMAT de 2020.

Realizamos ainda os Encontros Regionais com grandes atrações, com ênfase para a iniciativa pioneira de promover o I Encontro Internacional da Amatra em Montevidéu-URU. Tivemos ainda uma série de atividades inovadoras como as Feijucas, o Cine Amatra, o dia da mulher, as festas de São João, o dia das crianças, entre outras.

Os desafios para o movimento associativo não terminaram. Agora, uma nova diretoria assume com todo respaldo e legitimidade para conduzir a AMATRA aos seus melhores dias. Desejamos grande sucesso à frente da instituição.

A todos que participaram da gestão, especialmente a diretoria, fica minha gratidão e reconhecimento”.

 

 

(*)Editorial veiculado no Isto Posto, edição de 13 de setembro de 2018, assinado pelo presidente da Amatra VI, Adelmy Acioli.