A Anamatra, juntamente com outras entidades representativas do Ministério Público do Trabalho, de auditores fiscais do trabalho e de advogados trabalhistas, entregaram na segunda (4/6), em Genebra (Suíça), durante a 107ª Conferência Internacional da OIT, nota em defesa das normas internacionais, das instituições públicas e do acesso à Justiça.

A juíza da 6a Região, Luciana Conforti, diretora de Direitos Humanos e Cidadania da Amatra VI e da Anamatra, participa do evento como observadora, ao lado da vice-presidente da entidade nacional, Noemia Porto.

O documento, entregue ao integrante do Departamento de Normas Internacionais do Trabalho da OIT Horacio Guido, rechaça as manifestações dos representantes do Governo e do patronato brasileiros, seja em plenário, seja no documento denominado Information Supllied by Governments on the Application of Ratified Conventions (defesa do governo), porquanto em contrariedade com os números oficiais divulgados no Brasil, no tema do desemprego e da desafiliação social, assim como com as previsões das normativas internacionais com as quais as instituições se comprometeram.

(*) Conteúdo Imprensa/Anamatra

Confira o documento:

DOCUMENTO OIT CONJUNTO(3)